Quero receber
o LordCão News

Blog Vida de Cão - Veja Rio

 

Curiosidades Caninas

Faça aqui o Quiz Canino da LordCão e teste seus conhecimentos sobre os cachorros.

Quanto melhor do que o ser humano um cachorro vê, ouve, sente o gosto, ou percebe cheiros das coisas?

Na verdade é impossível nós medirmos, ou mesmo imaginarmos, o quanto é diferente a percepção dos sentidos entre os humanos e os cães. Não só os nossos peludos possuem uma quantidade diferente de células receptoras para cada um dos sentidos (visão, olfato, tato, paladar, e audição), como a própria percepção dos cães é diferente. No entanto existem algumas estatísticas e evidências coletadas através de experiências, que podem servir como referência para nos ajudar a compreender um pouco melhor como deve ser estes universo espetacular dos sentidos dos cães.

A Visão:
Através de testes é possível identificar que os cães possuem uma visão periférica cerca de 10 vezes mais sensível do que os humanos, enquanto que a sua visão para coisas muito próximas não é nada boa. Uma razão para isto é o próprio posicionamento dos olhos do cão, normalmente mais laterais e afastados que os nossos, aumentando assim a visão periférica, mas diminuindo a sobreposição das imagens captadas por cada olho, que nos dá a sensação de profundidade. Para efeito de comparação "curiosa", a maioria das raças de cães tem um ângulo de visão de 250 graus, enquanto que nós, míseros humanos, possuímos um ângulo de visão de cerca de 190 graus. Na verdade, o ângulo de visão de cada raça varia bastante em função do formato da cabeça e o posicionamento dos olhos no crânio. Cães com focinhos mais finos tendem a possuir os olhos posicionados mais à frente, e portanto possuem uma visão binocular mais apurada do que seus companheiros que possuem focinho mais largo, com os olhos posicionados mais lateralmente, com uma visão periférica melhor.

Os olhos dos cães são mais sensíveis à luz, e portanto eles conseguem "enxergar" muito melhor do que nós em ambientes com muito pouca luminosidade (mas eles não enxergam em ambientes totalmente escuros como muitos acreditam), isso se deve não só a maior quantidade de celulas receptoras de luz (as células bastões) e de uma camada refletora de luz, que fica atrás da retina, chamada "tapetum lucidum", como também pela sua grande capacidade de dilatar as pupilas para uma maior entrada de luz.

Ao contrário do que muitos acreditam, os cães podem perceber certas cores e não só enxergam em preto, branco, e cinza. Bom, pelo menos teoricamente, já que os olhos dos nossos amigões também possuem células cones (mas em muito menos quantidade que as bastões) que são responsáveis pela percepção das cores no nosso ambiente.

O Olfato:
Sem dúvida nenhuma este é o principal sentido para um cachorro.

O ser humano tem cerca de 5.milhões células receptoras de odores, enquanto que muitas raças possuem mais de 220 milhões destas células. Isso poderia nos levar a crer que os cães podem "cheirar", mais ou menos, 44 vezes melhor do que nós, mas isso não é tudo. Cada célula olfativa possui uma espécie de pelinho, chamada cília, que é na verdade uma protuberância na membrana da célula, responsável por captar as moléculas que causam o odor e transmitir esta informação para a célula, que por sua vez manda a mensagem para o nervo olfativo, e este para o cérebro (ufa). Bom, cada uma das nossas míseras 5 milhões de células olfativas tem cerca de 6 a 8 cílias. Cada uma das 220 milhões de células olfativas do peludo possui nada mais, nada menos que qualquer coisa entre 100 e 150 cílias.

Sé nós pudéssemos retirar toda a membrana nasal que existe dentro do focinho do nosso cachorro, e a esticássemos, veríamos que ela é bem maior de toda a pele que cobre o corpo do peludo. Um cão tem em média 7 metros quadrados de membrana nasal, enquanto que nós, míseros meio metro quadrado.

Testes de laboratório já provaram que algumas raças de cães são capazes de identificar uma determinada substância diluída na proporção de 1 para 1 milhão.

Além disso os cães podem mover suas narinas, facilitando a capacidade de perceber os cheiros e de onde eles vem. Eles também possuem uma estrutura óssea no focinho que nós humanos não temos (no nariz, é claro), que formam uma câmara que "aprisiona" as moléculas do odor, fazendo com que o cão possa "sentir" o cheiro por mais tempo, o que facilita, sem duvida nenhuma na hora em que ele deve seguir algum rastro. Isso sem contar que o bulbo olfativo (parte do cérebro dedicado à interpretação dos odores) dos cães e muito maior do que o nosso.

Para melhorar ainda mais, os cães possuem um órgão chamado de Jacobson (cientificamente falando é uma área vomero-nasal) que possibilita que os nossos companheiros possam sentir o gosto, isso mesmo, o gosto, dos cheiros. Esta é uma idéia incrível para nós humanos.

Existe o registro de um Bloodhound (famosos farejadores de odores humanos), que seguiu o cheiro de uma pessoa por 182 quilometros! Será que o camarada tinha tomado banho? :

A Audição:
Provavelmente você já ouviu dizer que um cachorro escuta 4 vezes mais do que os humanos. Mais uma vez isso não é bem verdade, e os nossos amigos peludos demonstram que também na audição nos superam e muito. A afirmação de que um cão ouve 4 vezes "melhor" do que nós, vem do fato de que os peludos identificam sons tão claramente quanto nós, mesmo eles estando quatro vezes mais longe da fonte do barulhinho. No entanto os bichões conseguem perceber e ouvir sons que são absolutamente inaudíveis para nós, principalmente nas freqüências mais altas.

O ouvido humano pode captar sons que estão numa faixa de vibração entre 20 e 20.000 ciclos por segundo, enquanto que os cães alcançam sons entre 18 e 40.000 ciclos por segundo. Ah, mas é claro que isso não é tudo. Tal como as narinas caninas que se movimentam, captando melhor os cheiros, as orelhas dos peludos também se movimentam, facilitando a percepção da origem dos sons e a captação dos mesmos. Um estudo realizado no Instituto de Fisiologia Pavlov, na Rússia, provou que um cão pode localizar a origem de um som em impressionantes 6 centésimos de segundo. É mole?! E você já reparou que as orelhas do nosso amigão parecem ser totalmente independentes? Enquanto uma procura um som á frente, a outra pode estar virada para trás, ou mais para a direita, ou mais para esquerda. E se você acha que as orelhas do seu cachorro servem só para ouvir, repense as suas convicções. Tal como em nós humanos, o aparelho auditivo também serve para dar equilíbrio ao cachorro, mas diferente de nós, as orelhas caninas também possuem um papel fundamental na comunicação entre os cães. Orelhas eretas e voltadas para frente indicam um cachorro confiante e até dominante. Um cachorro com orelhas "achatadas" na cabeça indicam um bichinho cordato e submisso. Elas ainda podem dizer se o cachorro está pensando em atacar, ou fugir de medo.

Com um aparelho auditivo tão bem dotado, eu não posso deixar de pensar em quantos sons desagradáveis os nossos cachorros estão expostos no dia a dia, sem que a gente perceba. Barulhinhos de motores, estáticas, ruídos parecidos com o de uma unha arranhando uma folha de papel, ou um quadro negro... Uí! Dói só de pensar!!!!

Só como curiosidade: Os gatos ouvem sons até 45.000 cps; os morcegos até 98.000 cps, e os golfinhos até 130.000 cps!

É bom lembrar sempre que embora todas as raças possuam o mesmo potencial genético para ativar seus sentidos, a seleção feita pelos homens ao longo de vários séculos, faz com que determinadas raças tenham determinado sentido mais apurado do que outras, por exemplo, os Terriers tem uma audição muito favorecida, enquanto que os Hounds possuem uma maior capacidade para identificar cheiros, ou possuem uma visão mais aguçada.

O Tato:
O sentido do tato é provavelmente o primeiro dos sentidos a funcionar em um filhote. Um pequeno canino, de apenas 2 dias de vida já pode sentir a proximidade do corpo da mãe e chora e rasteja para junto dela se por ventura ele rolar para longe. O sentido do tato também é responsável por uma das sensações mais importantes para estreitar os laços entre o seu peludo e você. Um belo carinho faz bem não só ao cão como a gente também. Não há quem não relaxe e se sinta melhor ao fazer carinho em um peludo. Especialmente se o cão em questão estiver com a pele saudável e possuir um pêlo macio e gostoso. Um cão privado do toque e dos carinhos (principalmente cachorros que passam muito tempo trancados em seus canis e que não têm contato com pessoas ou outros cães), desenvolvem um comportamento medroso, arredio, e as vezes até agressivo.
O contato físico é tão importante para a maioria dos cães, que para eles o carinho ainda é a melhor forma de recompensa para uma boa ação.
Igual a nós humanos, um carinho ajuda a reduzir a pressão sanguínea, o estresse e a freqüência cardíaca, além de ajudar a baixar a temperatura da pele. Também para os cães, carinho pode ser um santo remédio!

O Paladar:
Parece que pelo menos nesta área nós vamos sobressair sobre as habilidades dos nossos queridos e amados peludos! Quando o assunto é escolher entre um vinho tinto francês de primeira linha, ou um "vinagresinho" de fundo de quintal, o ainda entre um medalhão de lagosta ao molho de laranjas, ou um pedaço de pão velho, nós somos muito mais exigentes e bem dotados.

Enquanto que nós possuímos cerca de 9.000 papilas gustativas (aquelas bolinhas na nossa língua), os cães possuem apenas cerca de 1.700.

No caso dos cães, as papilas gustativas estão mais concentradas no fundo da língua do que na ponta (será que isso explica porque eles engolem tão rápido um biscoitinho?), e nossos peludos são capazes de reconhecer os 5 sabores básicos, como o doce, o salgado, o amargo, o ácido, e o neutro como a água. Tal como nós, eles também possuem preferências, como por exemplo, por sabores salgados e doces. Definitivamente a maioria não gosta dos sabores amargos e também não gosta de extremos como pimenta e coisas mentoladas, a não ser, é claro, quando você usa algum produto com estes gostos para tentar dissuadi-los a roer o seu móvel mais bonito.

Também é sabido que os cães preferem comida morna à gelada, e com textura mais macia e úmida do que dura ou seca.

Ainda falando da boca do cachorro, você sabia que o cachorro também tem dente-de-leite, que cai antes da chegada dos dentes definitivos. Um filhote normalmente começa a trocar os dentinhos aos 3 meses e meio de idade e já costuma ter todos os seus dentes definitivos até o sétimo mês de vida!

 


Os vira-latas são mesmo mais saudáveis e espertos do que os cães de raça?

Muitas pessoas acreditam que os cães sem raça definida são mais espertos e saudáveis que os cães de raça, especialmente quem tem um! Embora não exista nenhum estudo científico que possa confirmar se esta teoria é verdadeira ou falsa, parece que a seleção natural que envolve o crescimento da população de cachorros vira-latas realmente lhes dá uma maior resistência a doenças e a propensão do desenvolvimento de doenças tipicamente genéticas mais comuns em cães de raça pura.
Quanto a inteligência...Bem provavelmente você já viu vira-latas muito espertos, outros nada brilhantes, mas uma coisa é certa, só os que aprendem muito cedo a atravessar a rua sozinhos sobrevivem até a idade adulta para poder procriar.



Quantas palavras / comandos um cachorro pode aprender em média?

Quem já viu, ou conheceu um cachorrinho que sabe trazer para o seu dono apenas o brinquedo solicitado especificamente, como por exemplo o "pato", ou "a bola vermelha", ou "o ursinho"já deve ter ficado imaginando quantas palavras um cachorro é capaz de aprender.

Este assunto, não diferente de tantos outros, traz consigo alguma falta de consenso entre os especialistas, mas a maioria dos livros diz que os cães "inteligentes" podem aprender e entender cerca de 50 palavras diferentes. Se o seu cachorro não chega nem perto disso, não fique triste. A maioria dos peludos "normais" possuem um vocabulário de mais ou menos 15 palavras diferentes. Parece que as raças normalmente usadas para o pastoreio de animais são as que possuem um potencial maior de aprendizado, bem como os Poodles, mas é bom lembrar que um dono dedicado e carinhoso, que treina e estimula seu filhotinho desde cedo, com certeza irá fazer com que seu cachorro se destaque dos demais peludos da vizinhança. O livro Guinness de records registra que uma Poodle Toy chamada Chanda-Leah é a campeã em número de truques. Esta pequena cachorrinha é capaz de fazer nada menos do que 469 truques diferentes, entre eles, pegar um lenço de papael quando alguém espirra, andar de skate, tocar piano, tirar os nós do cadarço de um sapato, além de guardar todos os seus brinquedos.

 


Ranking das Raças por inteligência. As 10 + as 10 - e as 25 mais conhecidas.

Um livro bastante conhecido, chamado A Inteligência dos Cães, de Stanley Coren, classifica 133 raças de acordo com a sua inteligência. Mas antes de você sair por aí achando que a raça do seu peludo é um gênio total, ou nada brilhante, é preciso entender que medir a inteligência de um cão é um assunto, no mínimo, bastante relativo.
Um cachorro é muito inteligente porque ele obedece rapidamente, ou ele é tão inteligente que só faz o que quer? Ele é muito inteligente porque obedece prontamente, ou ele é esperto e independente o suficiente para só obedecer quando lhe interessa? Uma raça de pastoreio é muito inteligente porque faz o seu "trabalho" praticamente sozinha, ou ela simplesmente está obedecendo aos seus instintos e não "pensa" muito a respeito?

Então como podemos interpretar o Ranking o Inteligência dos Cães?

Segundo o autor, é preciso, antes de mais nada, saber que existem variações expressivas entre os cães de uma mesma raça. Sendo assim, você pode encontrar um Shih-Tzu extremamente inteligente, obediente e fácil de treinar e também encontrar um Labrador tão receptivo quanto uma pedra.

Cães que estão na faixa de 1º a 10º colocados, estão entre as raças mais brilhantes em termos de obediência e também na execução de tarefas de trabalho. A maioria dos cães destas raças já demonstra sinais de compreensão de simples novos comandos em menos de 5 repetições e não precisam de muita prática para manter estes comandos. Quando os donos pedem para eles executarem alguma tarefa, eles obedecem logo da primeira vez em cerca de 95% dos casos, e, além disso, eles costumam responder a estes comandos apenas alguns segundos depois de solicitado, mesmo que o dono esteja longe fisicamente. São facilmente treinados até por pessoas com pouca experiência.

Cães na faixa entre a 11ª e 26ª posição são excelentes cães de trabalho. O treinamento de simples comandos é normalmente assimilado depois de 5 a 15 repetições e serão memorizados facilmente, embora ainda possam melhorar com a prática. Eles respondem ao primeiro comando em cerca de 85% dos casos, ou mais. Em caso de comandos mais complexos é possível notar, ocasionalmente, uma pequena demora no tempo de resposta, mas que também pode ser eliminada com a prática destes comandos. Cães nesta faixa de inteligência também podem responder um pouquinho mais devagar se os seus treinadores estiverem longe fisicamente deles. Mesmo assim, qualquer treinador poderá fazer com que estes cães se apresentem bem, mesmo que o treinador tenha apenas um mínimo de experiência e paciência.

Cães na faixa ente a 27ª e a 39ª posição são considerados acima da média nas habilidades de trabalho. Embora eles demonstrem um entendimento preliminar de novas tarefas simples depois de 15 repetições, normalmente serão precisas de 15 a 20 repetições antes que eles obedeçam de forma mais imediata. Estes cães se beneficiam enormemente de sessões extras de treinamento, especialmente nos primeiros estágios de aprendizagem. Depois que eles aprendem e adquirem o hábito do novo comportamento, eles geralmente retêm os comandos com uma certa facilidade. Outra característica destes cães é que eles costumam responder logo no primeiro comando em 70% dos casos, ou ainda melhor que isso, dependendo da quantidade de tempo investido no treinamento deles. A única coisa que os separa dos melhores cães em obediência é que eles tendem a demorar um pouquinho mais de tempo entre o comando dado e a resposta, além disso, eles parecem ter um pouco mais de dificuldade em se concentrar no comando na medida em que o dono se distância fisicamente deles, sendo que se o treinador estiver realmente distante do cão, ele pode simplesmente não responder ao comando. No entanto, quanto maior a dedicação, paciência e persistência do dono/treinador, maior o grau de obediência destas raças.

Cães que estão entre a 40ª e a 54ª posição entre as raças pesquisadas são considerados como medianos no processo de aprendizado e na capacidade de serem treinados para executar tarefas. Durante o período de aprendizado eles irão demonstrar sinais rudimentares de compreensão da maioria dos comandos após 15 a 20 repetições. No entanto, para que eles obedeçam razoavelmente serão necessárias de 25 a 40 experiências bem sucedidas. Se forem treinados adequadamente estes cães irão apresentar boa retenção e eles irão se beneficiar, definitivamente, de todo esforço extra que o dono dispensar durante o período inicial do aprendizado. Na verdade, se este esforço concentrado não for aplicado no início do treinamento, o cão parece perder rapidamente o hábito de aprender. Normalmente eles respondem no primeiro comando em 50% dos casos, mas o grau de obediência final e confiabilidade irão depender da quantidade de prática e repetições durante o treinamento. Eles também podem responder de uma forma consideravelmente mais lenta do que as raças classificadas em níveis mais elevados de inteligência. Um outro detalhe é que estes cães costumam ser extremamente sensíveis à distância física entre eles e seus donos. Ou seja, na medida em que a distância entre o cachorro e o dono aumenta, pior fica do cachorro obedecer prontamente, ou mesmo de obedecer. Não é incomum que, a partir de determinadas distâncias (que com alguns cachorros não precisa ser muito grande), já sejam necessárias várias repetições do mesmo comando, ou que o tom de voz seja elevado, para que se consiga fazer com que o cão obedeça corretamente. Paciência e persistência são condições indispensáveis para que estes cães sejam treinados com sucesso e não se tornem "impossíveis".

Cães classificados entre a 55ª e 69ª posição são considerados apenas como aceitáveis no processo de aprendizado e na capacidade de serem treinados para executar tarefas. Às vezes é preciso cerca de 25 repetições antes que eles comecem a mostrar algum sinal de entendimento do comando novo e provavelmente serão precisas outras 40 a 80 repetições antes que eles se tornem confiáveis em tal comando. Ainda sim o hábito de responder ao comando pode parecer fraco. Muita prática, com várias repetições, será preciso para que a raça finalmente atenda aos comandos prontamente e se torne obediente. Se eles não forem treinados várias vezes, com dose extra de persistência, estes cães irão agir como se tivessem esquecido completamente o que se espera deles. Sessões ocasionais de reforço serão necessárias para manter a performance do cão num nível aceitável. Se os donos trabalharem apenas o "normal" para manter seus cães treinados, os cães irão responder prontamente no primeiro comando em apenas 30% dos casos. E mesmo assim, eles obedecerão melhor se o dono estiver muito perto deles fisicamente. Estes cães parecem estar sempre distraídos e obedecem apenas quando eles assim desejam. A maioria dos donos descreve seus cães com os mesmo adjetivos usados para se descrever um gato. Eles são independentes, esnobes, se aborrecem facilmente e assim por diante. Um treinador experiente, com muita paciência, tempo, que seja firme e ao mesmo tempo carinhoso, é o que irá conseguir tirar o melhor destes cachorros, mas mesmo assim vai ter que dar um duro danado para conseguir que eles obedeçam com um pingo de entusiasmo.

Cães classificados entre a 70ª e 79ª posição são considerados extremamente difíceis de serem treinados para executar tarefas. Normalmente são necessárias de 30 a 40 repetições de simples comandos, no início do treinamento, para que eles comecem a demonstrar alguns sinais de que estão entendendo o que se espera deles. Não é raro que estes cães precisem executar mais de 100 vezes um comando de forma correta, antes de se tornarem confiáveis na sua performance. O treinamento de obediência básica normalmente deve ser estendido por várias sessões., e mesmo assim eles podem parecer lentos e desinteressados na conclusão dos comandos. Uma vez que estes cães tenham absorvido totalmente o comando, será necessário manter o treinamento periodicamente, uma vez que eles parecem "desaprender" numa velocidade muito grande. Na verdade, se o treinamento não for mantido, eles darão a impressão de que nunca aprenderam nada. Alguns juizes e treinadores costumam dizer que eles são "intreináveis", mas outros afirmam que na maioria das vezes o treinador e/ou o dono não tiveram a paciência e a persistência de manter o treinamento por tempo suficiente afim tornar os comandos de obediência em hábito de comportamento. Eles tendem a reagir com algum interesse em menos de 25% das vezes em que um comando lhes é dado e não raro eles simplesmente dão as costas aos seus treinadores, como que se estivessem desafiando a autoridade destes.

Os 10 Mais:

1º Border Collie
2º Poodle Standart
3º Pastor Alemão
4º Golden Retriever
5º Doberman
6º Pastor de Shetland
7º Labrador Retriever
8º Papullon
9º Rottweiler
10º Boiadeiro Australiano

Os 10 Menos:

79º Afgan
78º Basenji
77º Bulldog Inglês
76º Chow Chow
75º Borzoi
74º Bloodhound
73º Pequinês
72º Beagle
      Mastiff Inglês
71º Basset Hound
70º Shih Tzu

As raças mais conhecidas:

12º Schnauzer Miniatura
13º Springer Spaniel
16º Collie
18º Cocker Spaniel Inglês
21º Weimaraner
22º Bernese Mountain Dog
23º Lulu da Pomerânia
27º Yorkshire Terrier
34º American Staffordshire Terrier
35º Setter Irlandês
37º Pinscher Miniatura
39º Dalmata
40º Fox Terrier Pêlo Liso
43º Pointer Inglês
45º Husky Siberiano
45º Bichon Frise
47º West Highland White Terrier (IG)
48º Boxer
48º Dogue Alemão
49º Dachshund ou Teckel (Cofap)
51º Whippet
51º Shar-Pei
51º Fox Terreir Pêlo Duro
52º Leão da Rodésia
54º Akita
57º Pug
59º Maltês
63º Old English Sheepdog
65º São Bernardo
66º BullTerier
67º Chihuahua
68º Lhasa Apso



Alguns trabalhos especiais de cães:

Todos nós sabemos que os cães são capazes de realizar trabalhos incríveis para os homens. Não é de hoje que eles nos ajudam a conduzir e guardar o rebanho, exterminar roedores e outros pequenos predadores, trabalham cuidando de nossa casa, propriedade ou até mesmo como guarda pessoal. Cães nos ajudam a caçar, puxar trenós, ou pequenas carroças. Os mais treinados executam trabalhos complexos e especiais, como guiar pessoas portadoras de deficiência visual, com segurança pelas ruas barulhentas e cheias de obstáculos de uma grande ciadade. Eles ajudam pessoas com dificuldades físicas carregando suas sacolas, pegando objetos que caem no chão ou em prateleiras mais altas de um supermercado, por exemplo. Eles podem apagar e acende interruptores, abrir e fechar portas, e dar uma forcinha na hora de subir uma rampa. Eles podem ser treinados para ajudar pessoas com o mal de Parkingson, inclusive usando seu próprio corpo para evitar que uma pessoa com dificuldade grave de andar caia. E se o seu dono cair, lá eles estarão para ajudá-los a se levantar, com calma e segurança. Para aqueles que tem dificuldade auditiva, os peludos ajudam a avisar quando alguém bate na porta, quando toca o telefone, se o bebê está chorando, ou se um alarme contra incêndio é ativado. Ninguém duvida, hoje em dia, dos benefícios que um cachorro pode trazer para as pessoas que se encontram enfermas, que necessitam de um estímulo extra para desenvolver melhor na fisioterapia, ou que apresentam casos de pura depressão. É por isso que podemos encontrar com facilidade cães especiais visitando asilos, hospitais, e orfanatos nos EUA e também na Europa, onde são muito bem vindos por pacientes e por terapeutas. Também já é reconhecido o valor dos peludos na hora de recuperar presidiários, crianças, e adolescentes em programas especiais para reforçar o auto controle e a auto estima destas pessoas. Depois do horror de 11 de setembro, o mundo inteiro pode ver o trabalho excepcional das equipes de salvamento e resgate nos escombros das torres gêmeas em Nova York. Mas isso não é tudo. Os cães também podem ser treinados para avisar quando alguém está prestes a ter um ataque epilético, dando tempo suficiente para a pessoa se preparar e para se colocar em uma posição segura. Os cães podem desenvolver tarefas especificas que ajudam crianças com certos graus de autismo a brincar, se comunicar, e se relacionar com o mundo a sua volta. São tantos os trabalhos e as contribuições que estes belíssimos animais nos dão, que poderíamos escrever páginas e páginas com seus feitos. Infelizmente eles ainda fazem um outro trabalho para o homem, que com certeza poderia ser substituído de alguma forma. Os cães ainda nos servem para experiências e pesquisas, médicas, cosméticas e científicas, nem sempre éticas, nem sempre responsáveis, nem sempre "humanas".

 


Por que os cachorros gostam de cheirar o "traseiro" uns dos outros?

A primeira coisa que se pode ter certeza é que não é porque cheira bem!

Quando um cachorro investiga a região anal (fica bonito assim, não é mesmo?) de outro cachorro, ele está tentando identificar o companheiro. É justamente pelo cheiro que os cachorros conseguem passar e receber informações importantíssimas, como posição hierárquica, medo, auto-confiança e ansiedade, entre outras.

Primeiro tem a glândula anal, que como o próprio nome diz, fica bem "lá". Quando os cães tem a confiança lá no alto, eles fazem questão de informar isso aos outros cães, comprimindo a glândula anal e liberando um cheiro intenso para os narizes apurados de nossos amigos de 4 patas. O cão confiante abana o rabo bem esticadinho para cima e vigorosamente de forma a não deixar dúvidas para o outro cão. Já os tímidos e inseguros tentam cobrir o cheiro, enfiando os rabinhos no meio das pernas e mantendo-os o mais junto possível do corpo. Também é cheirando "lá" que os cães ficam sabendo do que o companheiro tem se alimentado ultimamente e, quanto mais o odor for rico em proteína animal (carne), maior o significado de que o cachorro que está sendo cheirado é dominante. Um cão bem alimentado, que come a parte mais nobre da "caça", é um cão forte e poderoso e portanto deve ser respeitado. É claro que pode ser apenas um "luluzinho" medroso, que recebe carninha fresquinha todos os dias, diretamente da mesa da mamãe (não tem nada de valente), mas isso os outros totós não sabem!


Por que cachorros se esfregam em porcarias e coisas malcheirosas?

Quem já não passou por isso, ou não conhece alguém que já passou? Você acaba de dar um banho em Rex e leva ele par um passeio. Um minuto de distração e Rex está rolando por sobre a carcaça de um animal morto a meses, ou no chão sujo de lixo, ou coisa ainda pior!

Embora isso possa ocorrer com todas as raças, parece que cachorros que foram originalmente desenvolvidos para caçar tem especial atração por este tipo de evento fedorento.

Com base em observações de vários grupos de cães, chega-se a conclusão de que o que eles pretendem é capturar o cheiro no qual eles estão rolando (e não o de deixar o cheiro deles no objeto fedorento) e assim cobrir o seu próprio odor o que ajudaria como disfarce no eventual encontro com uma presa.

Uma outra interpretação é de que ao capturar o odor de seu "precioso" achado, o cão retorna ao seu grupo que passa a cheirá-lo com extremo interesse e entusiasmo. Ele estaria assim transmitindo informações de uma possível presa para o grupo e convidando-os para uma caçada.



Por quê um cachorro deita de barriga para cima?

Um grande sinal de submissão de um cachorro é quando ele oferece o pescoço para você morder quando você está deitada. Este comportamento ocorre quando o cachorro ve você como a Super Lider da Matilha! É isso aí: ele está brincando com você como os filhotinhos brincam com a mamãe cadela, e como, mais tarde, os membros mais submissos agradam o líder supremo que chega da caçada.

É um joguinho bem submisso e respeitoso, e eles gostam de brincar assim. Significa que se o Líder for gentil e brincar de morder bem devagarzinho, o cãozinho subalterno está sendo bem aceito pelo líder, de tal forma que este até concede um tempinho para brincar com ele.

Esta atitude é muito comum entre os lobos, e uma outra variação é lamber a boca do líder e dar o focinho para ele morder.

Atenção PessoAu, não tentem esta brincadeira (morder em cima do focinho do seu cão) se ele for muito dominante. Um cachorro dominante não vai admitir este tipo de intimidação e vai rosnar feio para você e, se você tiver que recuar, vai ser um desastre para a relação de vocês, pois ele vai aprender a te ameaçar.

 


 


© LordCão 2009